Tudo o que você precisar saber sobre soroche

Hoje é dia de Série Andina! O tema de hoje é um assunto muito importante que todo viajante que está indo para lugares com altitude elevada deve ler antes de embarcar. 

Se você anda planejando uma viagem para o Peru, Bolívia, ou qualquer outro lugar com altitudes elevadas, com certeza já deve ter ouvido falar do soroche, também conhecido como mal da altitude ou acute mountain sickness (mal agudo das montanhas ou AMS).

Afinal, o que é o soroche?
Esse é o nome dado aos efeitos causados no organismo devido à dificuldade de se adaptar a grandes altitudes. Quanto mais próximos estamos do nível do mar, maior é a facilidade de absorver oxigênio.  Cusco por exemplo esta a quase 3.400 metros acima do nível do mar e isso faz com que a nossa capacidade de absorver oxigênio caia em 40%.

Como consequência surgem uma série de sintomas. Os mais comuns são dor de cabeça, tontura, falta de ar, enjoo, vômito, perda de apetite e insônia. Em casos muito extremos, pode levar à um edema pulmonar ou cerebral e até à morte. Sentindo que os sintomas estão se agravando, é bom procurar imediatamente um médico e comece a descer para a menor altitude possível.

As altitudes que podem causar esse tipo de efeitos são classificadas em:
– moderadas: entre 2.400 e 3.600 metros
– altas: entre 3.600 e 5.400 metros
– extremas: acima do 5.400 metros

Esses efeitos podem afetar qualquer pessoa, independente de idade e mesmo os mais saudáveis. Algumas pessoas podem passar muito mal enquanto outras não sentem absolutamente nada.

IMG_5953 (Large)

Nossa experiência com o soroche
O maior sintoma que senti com relação ao mal da altitude foi a falta de ar e o cansaço em fazer pequenos esforços como subir uma escada. Esse cansaço logo era amenizado assim que eu tomava grandes quantidades de água. Durante a trilha inca foi onde eu mais sofri com a falta de ar, pois todos os dias fizemos longas caminhadas subindo a montanha.  Apenas uma vez tive um enjoo muito forte e vômito. O David também não sentiu muito o mal da altitude, apenas um cansaço maior que o normal em fazer pequenas caminhadas.

Como eu tenho enxaquecas com frequência, fiquei com medo de ter dores de cabeça durante a viagem e não aproveitar os passeios. Seguindo a indicação de um médico que postou algumas informações no site do Mochileiros, eu comecei a tomar um remédio chamado Diamox um dia antes de sair do Brasil. Ele faz com que respiremos mais rápido, facilitando na adaptação. Como efeito colateral eu senti algumas vezes formigamento nas mãos e no rosto e um gosto diferente em algumas bebidas.

Esse remédio me ajudou bastante, porém é importante lembrar que não se deve tomar nenhum medicamento sem antes consultar um médico. O David por exemplo não tomou o Diamox pois ele é alérgico a uma das substâncias que tem na sua composição.

Algumas informações desse post foram encontradas no blog Viajando de Carro, que fez uma matéria bem completa sobre o mal da altitude. Vale a pena a leitura :)

26 anos, aquariana, instrutora de yoga e reikiana. Nasci em Curitiba, mas sou do mundo. Amo os animais, cristais e natureza. Gosto de pintar mandalas e criar artes com papéis. Sou super otimista e acredito que a felicidade é para todos!

Leia também:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *