Nossa chegada em Cusco – Série Andina

Em agosto de 2013 nós fizemos um mochilão de 25 dias pelos Andes, passando por Peru, Bolívia e Chile). Paralelo aos nossos outros posts, estamos lançando hoje uma série aqui no blog chamada Série Andina, onde vamos postando alguma coisa do nosso material sobre essa viagem, com dicas, roteiros e histórias. Esperamos que gostem :)

A nossa chegada em Cusco
Entre aviões, longas esperas em aeroportos, conexões, etc, já tínhamos saído de casa faziam 13 horas. Eu já estava bastante empolgada, mas foi quando o serviço de bordo nos ofereceu Inka Kola no avião que eu comecei a ficar eufórica: estávamos finalmente no Peru!

Nesse último voo acabamos ficando em poltronas no corredor e isso me deixou louca! Queria olhar pela janela, queria procurar Machu Picchu, queria ver Cusco lá em baixo, queria ver qualquer coisa! Ficava procurando brechinhas quando o avião fazia curvas para tentar enxergar qualquer pontinha. Eu parecia uma criança chegando na Disney.

Finalmente desembarcamos e logo no aeroporto fomos abraçados por uma forte atmosfera inca, começando pela música peruana que estava tocando. O aeroporto de Cusco é bem pequeno e todas as lojas tem temática inca. Tem até um homem vestido de inca querendo vender entrada para Machu Picchu! É uma pena eu não ter tirado fotos do lugar.

Em Cusco muitos hostels oferecem o serviço de te buscar no aeroporto sem nenhum custo adicional e esse era o nosso caso. Um simpático homenzinho mais baixo que eu veio nos receber. Os peruanos são em geral pessoas bem baixinhas e isso inclusive é notável na arquitetura deles. O vão das portas lá tem no máximo 1,80 e altura. Algumas são até mais baixas e tínhamos que tomar cuidado para não bater a cabeça.

900x600_1

O caminho até o hostel foi igual a todas as vezes que chegamos em uma cidade nova: um banquete visual de lugares totalmente novos e nossos olhinhos famintos para devorar tudo e não perder nem uma migalha!

Chegando no hostel, fizemos o checkin, largamos nossas malas no quarto e fomos para a rua fazer o reconhecimento do local. Ficamos hospedados a poucas quadras da Plaza de Armas, o que significa ter quase tudo bem perto. Primeiro procuramos um lugar para trocar dinheiro e não demoramos para achar. Em Cusco quase todos os lugares vendem quase tudo. Por exemplo, você entra em um lugar que vende roupas peruanas, mas lá também pode comprar balas de coca, trocar dinheiro, comprar entrada para Machu Picchu e passagem de ônibus para qualquer cidade. É engraçado, mas é bem assim que funciona.

Depois disso fomos procurar um lugar para comer. Andando pelas ruas aos arredores da Plaza de Armas é possível encontrar varias opções de restaurantes. Os garçons ficam nas portas abordando os turistas e as vezes é até um pouco chato ter que ficar andando e falando “no gracias” sem conseguir olhar o menu com calma.

IMG_2745

Escolhemos qualquer lugar e entramos para comer e tomar a nossa primeira Cusqueña! Uma coisa que percebemos, tanto no Peru quanto na Bolívia, é que dificilmente a cerveja vem super gelada. Eles dizem que é gelada, mas para o nosso gosto brasileiro podemos dizer que passa um pouco longe disso!

Nas refeições seguintes eu preferi pedir Inka Kola, que é o refrigerante mais conhecido no Peru. Aliás, lá é o único lugar no mundo em que um outro refrigerante é mais vendido que a Coca-Cola! A Inka Kola tem uma cor amarela-radioativa e um delicioso sabor que me lembra muito tutty-frutty. Não sei se é o gosto de saudade do Peru, mas esse é o refrigerante mais gostoso que já tomei!

26 anos, aquariana, instrutora de yoga e reikiana. Nasci em Curitiba, mas sou do mundo. Amo os animais, cristais e natureza. Gosto de pintar mandalas e criar artes com papéis. Sou super otimista e acredito que a felicidade é para todos!

Leia também:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *