Semana 08:
de Hobart a Devonport

carro coberto de neve

Na segunda e última semana na Tasmânia, fizemos a parte Oeste do círculo da Tasmânia, que é totalmente o oposto da parte Leste! O cenário mudou completamente, com chuva, neblina e até neve! As temperaturas caíram pra -2 e nós vimos alguns dos lugares mais lindos da viagem até agora!

22/04, sábado:

Saímos cedo rumo a Hobart, a capital da Tasmânia! Nos planejamos para chegar lá num sábado, porque é o dia que acontece o Salamanca Markets. Essa é uma grande (grande mesmo) feirinha de comidas, bebidas, artesanatos… tudo feito por produtores locais. Levamos pelo menos umas 3 horas para ver tudo! Foi bem legal, principalmente pelas bandas e artistas locais que fazem apresentações na rua mesmo.

artistas tocando música na rua
Artistas tocando no Salamanca Markets, em Hobart, Tasmânia

A minha parte preferida foi quando conhecemos a barraquinha do James M., um cara que viajou de Hobart a Londres apenas pedindo carona! Ele estava lá vendendo o livro dele e nós compramos uma cópia, com direito a dedicatória do autor e tudo :) O David ja estava cansado e ainda malzinho por causa da gripe, então resolvemos encerrar o passeio do dia e procurar um lugar onde já iríamos passar a noite. O problema é que Hobart, apesar de pequena, é como qualquer outra capital: não tem lugar pra se passar a noite com uma van.

Teríamos que ir para outra cidade, mas ja era hora do almoço e estávamos famintos! A maioria das vezes que estamos comendo fora é quando não nos programamos com relação à onde parar pra fazer almoço e nesse dia não foi diferente. Estávamos loucos de fome, no meio da cidade e a pelo menos 1 hora de carro de qualquer camping então acabamos cedendo de novo: procuramos um lugar pra comer. Mas achamos um restaurante indiano maravilhoso e super barato (eles quase sempre são muito baratos aqui) e por apenas $9.90 por pessoa comemos um belo de um banquete. Depois de comer caminhamos um pouco pelas ruas do centro e ficamos encantados com o charme da cidade, principalmente com tantas árvores amarelas do outono!

restaurante indiano colorido
Restaurante indiano em Hobart, Tasmânia

De lá pegamos a estrada para o único lugar que encontramos pra dormir, o estacionamento de um hotel na cidade de Kettering. Já era fim de tarde e 5 minutos depois de termos estacionado, uma mulher do hotel veio nos dizer que não poderíamos ficar porque não somos self contained (carros que não tem chuveiro e nem banheiro) e eles não oferecem essa estrutura lá. Nós tentamos explicar que não iríamos usar a estrutura deles porque já tínhamos tomado banho e ido ao banheiro e realmente só precisávamos de um lugar para passar a noite, mas ela não quis nos ouvir. Chateados, tivemos que pegar a estrada à noite, coisa que evitamos ao máximo fazer, e dirigir por mais meia hora até um camping que encontramos através do WikiCamps algumas cidades pra frente, em um lugar chamado Three Huts Pt, na cidade de Gordon.

23/04, domingo:

O dia amanheceu frio e chuvoso. Aquele típico domingo que pede um dia inteiro em casa. E foi o que fizemos. O plano era ir pra Bruny Island, mas estávamos um pouco indispostos e preferimos passar o dia descansando. E vou te contar, o dia foi maravilhoso! Eu não sai de baixo das cobertas e aproveitei o dia para escrever no blog, meditar, ler um livro e até fizemos um bolo!

campo e lago em um dia nublado
Camping na cidade de Gordon, Tasmânia

24/04, segunda-feira:

Agora sim o bicho pegou pro meu lado. Acordei muito mal e quase sem voz. Agora que o David estava se sentindo melhor, foi a minha vez de ficar doente. Passei a manhã toda na cama e a única coisa que nos fez sair do camping era que no dia seguinte seria Anzac Day, um feriado onde tudo é fechado, e nós precisávamos ir no mercado e tomar banho. Dirigimos de volta até Hobart, onde tinha um chuveiro quente gratuito e reabastecemos o nosso estoque de comida. De lá dirigimos para New Norfolk, a próxima cidade com lugar permitido para acampar, dessa vez indo em direção Norte.

25/04, terça-feira:

Passei a manhã toda na cama de novo. Tínhamos que continuar a viagem e eu queria ver um lugar bonito, então seguimos para o Mt. Field National Park, não muito longe dali. E que lugar incrível! A entrega do parque estava cheia de árvores com folhas douradas do outono, coisa mais linda.

menina com árvores de outono
Entrada do Mt. Field National Park
homem deitado em folhas de outono
Meu gatinho no tapete de folhas de outono

Fizemos uma pequena caminhada de 20 min até Russell Falls, uma das cachoeiras mais famosas do parque. Lá tem várias trilhas, mas eu estava sem condição nenhuma de continuar andando. Então continuamos o passeio de carro, subindo uma estrada que dava no topo de uma montanha. O cenário era lindo e lá estava pelo menos uns 4 graus mais frio que na base da montanha! Voltando, pegamos a estrada até Elendale, onde passamos a noite em um campo com uma vista maravilhosa.

cachoeiras na tasmania
Russell Falls, no Mt. Field National Park
campervan em um cenário de campo e lago
Lugar onde dormimos em Elendale

26/04, quarta-feira:

Logo cedo fomos para Hamilton tomar banho. Lá achamos um chuveiro quente por $1 por mais ou menos 5 minutos de banho. Abastecemos o carro com água e dirigimos para a próxima cidadezinha, a última cidade com mercado de todo o percurso que faríamos do lado oeste. Compramos tudo o que precisaríamos para os próximos 4 dias e dirigimos até o Lake St. Clair.  Esse é um dos lugares que eu mais queria ver na Tasmânia, é um lago muito bonito com umas montanhas ao fundo. Nossa ideia era fazer uma pequena trilha de 1 hora por ali. Porém, quando estávamos prestes a começar, começou a chover. Mas pera, essa chuva ta estranha. Ei, isso não é chuva, é neve!!! Sim, começou a nevar bem na nossa frente, em pleno outono!!! Foi um dos momentos mais mágicos de toda a viagem pela Tasmânia, nós ficamos vendo aqueles floquinhos caindo do céu como duas crianças felizes.

homem na neve na tasmania
Feliz que nem criança na neve, em Lake St. Clair

Nessas condições não daria mais pra fazer a trilha, nevou a tarde toda e nós fomos para o lugar onde iríamos passar a noite mais fria da viagem! Para aquecer, eu preparei um leite dourado para nós, mas aconteceu um infortúnio. Eu tive a péssima ideia de esquentar o leite na nossa chaleira elétrica e isso fez com que a nossa chaleira queimasse :( Fiquei muito triste, agora não temos mais chaleira pra preparar os nossos chás. Nos preparamos para a noite fria que estava por vir pegando várias roupas do armário e colocamos do lado das janelas para tentar fazer um tipo de “barreira” para não entrar friagem na van e até que funcionou, apesar de ainda estar 0 graus lá fora, não passamos frio à noite :)

carro coberto de neve
Nossa vanzinha cheia de neve

27/04, quinta-feira:

Agora que a neve já tinha passado, voltamos ao Lake St. Clair para fazer a caminhada. Apesar do frio tinha um pouco de sol e a caminhada foi curtinha, mas linda. De lá pegamos uma longa estrada até o parque nacional de Cradle Mountain. Foi uma viagem de mais de 3 horas e pegamos uma das estradas mais lindas da Tasmânia, passando pelas rodovias sinuosas perto de Queenstown com as lindas paisagens das montanhas.

lago com pedras e montanhas
Lake St. Clair, no Oeste da Tasmânia

 

campervan em uma rodovia com montanhas
Na linda estrada para Cradle Mountain

O frio e a garoa deram um charme a mais pra todo o cenário e foi exatamente como eu imaginei que seria o Oeste da Tasmânia. Chegando perto de Cradle Mountain estava uma baita neblina e não conseguíamos enxergar muita coisa à nossa frente. Estávamos planejando ver as montanhas no dia seguinte e cruzamos os nossos dedos para que o tempo melhorasse um pouquinho, caso contrário não iríamos conseguir ver nada no parque.

menina olhando de um mirante
Um dos mirantes na estrada perto de Queenstown

Fomos para o lugar onde iríamos passar a noite, um lugar quase na frente da entrada do parque e essa noite foi ainda mais fria que a noite anterior, com sensação térmica de -2 graus! Essa foi a noite mais gelada de toda a viagem.

campo cheio de musgo
O lugar que dormimos perto de Cradle Mountain

28/04, sexta-feira:

Quando acordamos ainda tinha muita neblina, mas mesmo assim fomos para o parque. Lá tem muitas opções de trilha, inclusive a famosa Overland Track que começa em Cradle Mountain e termina em Lake St. Clair e dura 7 dias! Além dessa existem várias outras trilhas mais curtas, incluindo uma em volta do Lake Dove que tem duração de 3 horas. Nós resolvemos fazer essa, mas não inteira porque os pontos que mais queríamos ver estavam logo no começo da trilha. Quando chegamos as montanhas ainda estavam bem cobertas pela neblina, mas mesmo assim estava lindo demais!

casal na frente de um lago
Quando você pede pra um estranho tirar uma foto sua e ele não mostra nada da paisagem :(

Quando estávamos quase indo embora o sol começou a aparecer e nós pudemos ver um pouco mais de toda a paisagem, mas mesmo assim não conseguimos ver a Cradle Mountain em si. Mas fomos embora felizes, apesar do tempo não estar totalmente aberto foi lindo demais! Esse era o último ponto que passaríamos na nossa viagem pelo Círculo da Tasmânia, então saindo de lá já pegamos a estrada de volta a Devonport.

casinha de madeira em um lago
Lake Dove, em Cradle Mountain National Park

Ainda tínhamos bastante tempo durante a tarde, por isso passamos pela cidade de Penguin, que é muito charmosinha e tem várias estátuas de pinguins por todo lado. Chegando em Devonport a primeira coisa que fomos fazer foi ir direto tomar um banho, no único chuveiro quente público que achamos em toda a viagem pela Tasmânia.

campervan e pinguim gigante vestido de soldado
cidade de Penguin, e o pinguim gigante vestido para o Anzac Day

Não tínhamos conseguido encontrar chuveiros desde Hamilton e tenho que confessar que chegamos em Devonport parecendo dois mendigos hahaha Foi maravilhoso poder tomar banho e lavar o cabelo e isso aumentou uns 80% o meu nível de felicidade hahaha De lá fomos ir lavar nossas roupas e enquanto esperávamos elas ficarem prontas, recebemos uma ótima notícia: o último trabalho que o David tinha feito para a escola tinha sido aprovado e isso significa que ele finalmente terminou o curso de Management and Leadership! Foram sofridos meses de horas e mais horas fazendo assesments e estávamos esperando pelo fim do curso a muito tempo e agora isso tinha que ser comemorado! Compramos pizzas e cervejas e fomos fazer um picnic no parque em frente a praia. Com mais um céu estrelado, exatamente do mesmo jeito que começou, estávamos comemorando não só o fim do curso do David, mas também o fim da nossa viagem pela Tasmânia. Foi perfeito.

Gastos da semana:

Combustível: AUD$127.07
Estacionamento: AUD$1.80
Mercado: AUD$69.62
Cartões postais e correio: AUD$12.80
Lavanderia: AUD$10.00
Camping em Gordon: AUD$10.00
Livro no Salamanca Markets: AUD$30.00
Almoço no restaurante indiano: AUD$22.30
Pizza e bebidas para o picnic em Devonport: AUD$32.50
Banho: AUD$2.00
Utensílios de cozinha: AUD$8.00
Imã da Austrália comprado no Salamanca Markets: AUD$8.50
TOTAL: AUD$334.59
Gasto abaixo do que gastávamos quando estávamos morando em Gold Coast: AUD$65.41

Por onde passamos no mapa:

 

26 anos, aquariana, instrutora de yoga e reikiana. Nasci em Curitiba, mas sou do mundo. Amo os animais, cristais e natureza. Gosto de pintar mandalas e criar artes com papéis. Sou super otimista e acredito que a felicidade é para todos!

Leia também:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *